quinta-feira, 22 de junho de 2017

POETANDO

Não faço poemas
Travo batalhas
Uso como armas
Os sentimentos
E as palavras.

Não faço poemas
Desfiro elipses
Rasgo as entranhas da terra
E a celeste esfera
Desafio os ventos
Guerreio os deuses
Esforços sangrentos.

Não faço poemas
Travo batalhas
Desenho ferocidade
Constante insanidade
Consumo-me na insatisfação.

Abraço a noite
Desespero
Não faço poemas
Maldigo as Musas
Avassaladora inquietação.

Não faço poemas
Travo batalhas inesperadas
Vivo a obsessão eterna
De quem tem existência terrena.

Não faço poemas
Desassossego.

Fernando Alagoa © todos os direitos reservados

Sem comentários:

Enviar um comentário