terça-feira, 4 de julho de 2017

CÃES DANADOS

Há um mundo humano profundo,
Oculto, intenso, imundo,
Onde só entra a perfídia e a traição
É um mundo de corredores sombrios
Onde mora a corrupção.

É um mal enraizado,
Há muito implementado nas bases da fundação,
Onde habitam os filhos do desprezo,
Corjas meliantes de carreira,
Insignes escroques da torpeza
E astutos caçarretas de igual craveira.

Homem sério não entra,
Moral e ética são valores que ninguém admira.
Se entra ingénuo por engano de admissão,
Logo se estraga o carácter no bulício da depravação.

Homens de bem certamente existirão,
A dificuldade estará
Em fazê-los acreditar
Na idoneidade da nação.

Portugal já não é, senão,
Uma coutada de especiosos,
De cães danados, aleivosos,
De hienas dissimuladas,
De aves de rapina esfaimadas.
Delapidam tudo, não deixam nada!
Oh, meu querido Portugal…

Fernando Alagoa © todos os direitos reservados

Sem comentários:

Enviar um comentário