quarta-feira, 25 de outubro de 2017

O OUTRO CORO DOS TRIBUNAIS

No tribunal nunca se diz a verdade,
Mente-se.
Mente-se com as palavras, com os olhos,
Com os gestos e com as intenções.
No tribunal não se diz a verdade,
Bastam ideias, incertezas, imprecisões.
No tribunal dos homens
Reina a devassidão
Reina o impuro, o ferrabrás e o aldrabão.
No tribunal, o mofo e a podridão
Não são imprevistos,
São!...
No tribunal onde a ética devia ser rainha
Reina o ranço, o mofo, o bafio,
A certeza do nada, o vazio!

Fernando Alagoa © todos os direitos reservados

Sem comentários:

Enviar um comentário